Gabriel Management Pages

terça-feira, 19 de abril de 2011

Seja o que for, mas seja!

Marca é a primeira coisa vista pelo cliente que olha uma empresa. O logotipo é, em muitos casos, o primeiro fator da marca percebido pelos clientes.
As empresas sabem disso e evitam realizar trocas nos logos, por se tratar de um processo cheio de incertezas, que gera um grande risco e pode ter resultados negativos.
GAP entre agradar e não agradarComo exemplo de resultado negativo o caso da GAP, que em 2010 tentou trocar a logo para modernização e não teve um resultado muito satisfatório. Foram tantas as reclamações que a empresa de moda americana voltou atrás na decisão e ainda busca um novo logotipo que agrade ao público. Veja links para revolta: http://www.bnet.com/blog/advertising-business/decoding-the-real-reason-gap-changed-its-logo/6131?tag=content;drawer-container e http://www.bnet.com/blog/advertising-business/did-sales-decline-trigger-the-gap-8217s-disastrous-new-logo/6120?tag=content;drawer-container
Alinhamento Estratégico Outras empresas, como o caso do Starbucks, trocaram a logo para que a mesma fique alinhada à estratégia global da corporação e por conseqüência, a imagem que a empresa busca passar a todos os clientes.
Na nova do Starbucks, por exemplo as palavras Starbucks Coffee não aparecem mais, pois com apenas a imagem da sereia o símbolo fica mais internacional (seguindo exemplos de Nike, Adidas, IBM, HP etc ), alinhado com a estratégia de entrada em novos mercados e com a extensão do portfólio de produtos, que inclui muito mais que diferentes tipos de café atualmente. Noticia no Terra:
http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=201101061343_RED_79463537

 
Ainda com relação a novas logo para alinhamento, o Google Crome recentemente recebeu uma modernização na logo. Isso foi feito com o intuito de tirar um pouco a possível complexidade da logo. Com a existência de todo um conceito da Google para userfrendly, nem o Crome escapou de pequenas alterações que deixaram a logo mais plana e sóbria. Outra visão: http://tecnoblog.net/59441/google-chrome-ganha-nova-marca/
ModernizaçãoA empresa brasileira O Boticário também realizou alteração de sua logo, essa foi lançada dia 27/3/2011. A nova logo veio para modernizar a imagem e aproximar mais ao público feminino, tentando transmitir toques suaves e elegantes. Noticia na web: http://louconaopublicitario.blogspot.com/2011/03/novo-logo-do-boticario.html

GMS troca logo!
A logo da Gabriel Management School, como provavelmente perceberam, foi alterada. O que gerou essa modificação foi ver na nova imagem algo mais dinâmico e moderno, que se alinha mais com os ideais da GMS para o presente e futuro. GMS sinceramente acredita que essa alteração foi feita para a melhor.
Impacto dessa alteração, principalmente em um período que a marca pretende se firmar pode ser grande, mas devido ao cunho mais profissional da nova logo é possível que haja uma maior aceitação e credibilidade após sua adoção.
As palavras do designer PH para a logo foram “mais dinâmica, circular, remetendo a algo despojado, porém sério”, algo que se une bem a marca em desenvolvimento GMS.
Nova marca, nova logo
O Mc Donald é uma marca conhecida mundialmente e 17 colocada no ranking de brands mais valiosas. Essa brand por mais incrível que pareça está sofrendo alterações, porém isso vem sendo feito de uma forma muito profissional e gradativa.
A marca Mc Donald está buscando uma imagem mais próxima da Economia Verde, com ações de sustentabilidade ambiental. Por exemplo óleo sendo reciclado e transformado em uma forma alternativa de combustível que abastece a frota da empresa. Outra ação é a ampliação do portifólio que inclue o McCoffee e saladas, que vem tirando um pouco a cara do palhaço Ronald da rede e deixando uma mais saudável.
Motivada pela mudança, na nova imagem conta com um novo layout (com mais cores madeira em suas lojas) e com a nova logo sendo estampada em suas atividades.
Abaixo a nova logo com o vermelho substituído pelo verde escuro e “M” amarelo.


Próximo Post Harley Davidson
Site que mostra outras logos e suas evoluções: http://www.logoblog.org/nike_logo.php
DICA DE HOJE:
-Para cada ação existe uma avaliação que deve ser feita.
-O que você pensa e o que você transmite devem ter um mínimo de diferença quanto a marca(seja pessoa ou empresa).
PS¹: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.

PS²: Lista das Top 500 Brands: http://brandirectory.com/league_tables/table/global_500_2011

Dúvidas e sugestões:
gabrielmanagementschool@gmail.com ou contato via algum dos módulos descritos no Free Advisoring GMS .

terça-feira, 12 de abril de 2011

Cara - Crachá

Todas as empresas encontram nos clientes uma possibilidade de crescimento. O cliente que rejeita a empresa gera uma oportunidade de entender um nicho, o cliente que é fiel gera a oportunidade de entender quais atitudes influenciaram na fidelização. Por isso estás usam de estratégias de marketing verde, buscam a satisfação e entrega de valor para seus consumidores, para que eles olhem para a empresa e mostrem ou concretizem as oportunidades com atos de aquisição de bens.
Depois dessa visão de empresa, pare e pense: o que é a primeira coisa que você, no papel de comprador ou consumidor lembra quando olha para uma empresa?

A resposta para essa pergunta é a marca.
Sendo a vendinha da esquina ou a empresa número 1 do mundo, todo empreendimento tem uma marca. Esta é composta pelas pessoas, pela imagem transmitida (slogan e todas as questões de layout como logotipo, arrumação física, limpeza etc.) e pelo total da satisfação gerada no ato da aquisição da solução( qualidade percebida, valor gerado, abordagem de atendimento, etc.).
No mundo competitivo que nos encontramos, existe uma linha de estudo dentro do marketing específica para estudo da marca. A essa linha de estudos chamamos Branding.

Se mesmo com essa descrição ficou com duvida, vamos a definição de Branding: Segundo Pavitt (2003) “branding é principalmente o processo de afixar um nome e uma reputação para algo ou alguém” para Guimarães (2003) “o branding é uma filosofia de gestão de marca, ou seja, uma maneira de agir e pensar sobre uma determinada marca” e segundo Rodrigues ( 2006) ele tem a função de “a interação do branding é fazer com que a marca ultrapasse sua esfera econômica, passando a fazer parte da cultura e a influenciar o comportamento das pessoas, num processo de transferência de valor para todas as partes interessadas da marca”

A marca e a logo são a mesma coisa?
Não, a logo é um dos fatores que está contido na marca. Ela é o símbolo que representa uma empresa. Por exemplo a logo do GMS, que foi desenvolvida pelo
Pedro Henrique Ribeiro, é:
e  a marca GMS é imagem percebida no layout da pagina, no slogan “ Nossa management school”,na logo, na qualidade entendida pelo leitor sobre os posts, pelo posicionamento da GMS em mídias sociais, entre outros.
Próximo Post: Marcas, logos e cases!

DICA DE HOJE:
-Pessoas não tem logo, mas tem marca. Pense e avalie como anda a sua. (o post trata apenas uma breve iniciação nesse tema que é muito denso).
-Valorize seu peso como cliente. Se a empresa te tratar mal, de um feedback e se nada for feito, não volte e fale mal dela abertamente.
PS²: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.

PS³: Lista das Top 500 Brands: http://brandirectory.com/league_tables/table/global_500_2011

Dúvidas e sugestões:
gabrielmanagementschool@gmail.com ou contato via algum dos módulos descritos no Free Advisoring GMS .

domingo, 10 de abril de 2011

Resolução Case B2 Company

Como prometido, venho trazer a solução do Case da B2 Company.

Nesse momento é importante mostrar que foi utilizado um passo a passo para a tomada de decisão, para garantir que as alternativas fossem enumeradas e pudesse ser feita uma escolha baseada em analise de causas e suas possíveis consequências.
1.O  problema:
Como minimizar os impactos adversos do corte de pessoal.
2.Delimitando o problema:
Problema é da parte operacional e recursos humanos da fábrica. Causa impactos indiretos também na marca B2 Company  e governo local.
Afetará todo o pessoal da produção.
3.Levantamento de hipóteses de causa:
Ambiente do mercado, globalização, falta de atualização, má divulgação, mau posicionamento da empresa no mercado.
4.Analise causas:
Globalização e ambiente do mercado são a causa do problema. Estes causarão um impacto muito negativo sobre a pequena cidade como um todo, pois haverá  perda dos impostos, impossibilitando o crescimento da cidade e investimento no bem estar local.
5.Possíveis soluções:
1.    Demitir o pessoal e encerrar o assunto.
2.    Atrasar a demissão do pessoal até que esforços tenham sido feitos para vender a fábrica.
3.    Oferecer transferência dos funcionários para outras fabricas da empresa.
4.    Oferecer transferência e ajudar funcionários a encontrarem novos empregos.
6.Analise possíveis conseqüências:
1.    Mal estar do povo para com a B2 Company.
2.    Perda de uma fábrica, diminuindo ainda mais a produção.
3.    Satisfação dos funcionários, mas ainda sim alguns seriam demitidos. A Cidade teriam menos pessoas para se preocupar, mas ainda teria um número de desempregados.
4.    Satisfação dos funcionários e minimização da quantidade de desempregados, deixando a situação estável, dentro do possível.
7.Escolhendo a alternativa:
Alternativa 4 é a escolhida.
8.Comunicar aos envolvidos a escolha.
Comunicar a todos os funcionários como a tomada de decisão foi feita e a escolha definida.
9.Implantação :
Transferência de uma parte do pessoal, funcionários que se destacassem muito.
A empresa colocará anúncio em jornais “Banco de Talentos B2 Company”.
Empresa fornece cursos profissionalizantes de curto prazo para funcionários.
10.Avaliação e controle de resultados:
Toda tomada de decisão deve ser feita pensando nas formas de controle. Nesse caso específico da B2 Company, deve ser mensurado  o número de profissionais que ficaram desempregados e quantos foram empregados.
Os que não conseguissem emprego devem contar ainda com com ajuda da empresa por mais um período de tempo.
PS: A B2 Company não existeporem existem casos muito parecidos com esse no Brasil e no mundo, e são casos muito reais!Uma decisão de fato pode afetar muito mais que o imaginado, então lembre-se desse caso em decisões futuras, analise alternativas e suas consequencias antes de dar os próximos passos.

terça-feira, 5 de abril de 2011

CASE B2 Company

A  B2 Company, uma empresa de calçados tradicional com 10 fábricas no norte-nordeste brasileiro, resolveu fechar sua fábricas de Cotagem, município de Minas Gerais (Brasil). O ambiente do mercado de calçados, no qual a B2 Company perdeu muito seu prestígio  para a enorme quantidade de concorrentes,  está a forçando  B2 Company a cortar custos e fazer o downsizing nessa fábrica, levando ela a cortar 50% de sua força de trabalho no munincípio como forma de tentar se manter. 

A empresa conta com 216 colaboradores na industria desse munincipio. A
lguns estavam na empresa há  16 anos, outros há 6 meses. 
De acordo com a política da empresa, eles receberiam uma indenização equivalente a uma semana de pagamento por cada ano de trabalho.
O Fechamento dessa fábrica, cortando metade do plantel, deixará desempregada uma quantidade significativa de pessoas dessa pequena comunidade. O desemprego causado terá um impacto muito negativo sobre a município como um todo, pois a perda dos impostos da B2 Company e perda dos impostos dos colaboradores afetará a economia da cidade que não terá caixa  suficiente para se manter e investir no bem da cidade.
Como gestor, qual deverá ser a sua decisão para: minimizar o impacto negativo que o fechamento da fábrica teria sobre os empregados, suas famílias e o município de Cotagem.
Próximo Post ainda essa semana divulgará uma alternativa para esse case!
_____________________________________________________________________
DICA DE HOJE:
- Pense que sua decisão pode impactar mais do que você pensa, por tanto, tome decisões cuidadosamente.
- Respeito ao próximo é uma saída importante em todos os momentos.
PS¹: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.

Dúvidas e sugestões: casalsgh@gmail.com ou via  FA-GMS na barra a direita.

PS²: Previsto para semana do dia 10 de Abril a entrega do projeto FA-GMS e também um post a respeito de logos e marcas. Como prévia, segue a nova logo do GMS que foi desenvolvida pelo Designer Pedro Henrique Ribeiro, para já pensarem no assunto.

terça-feira, 29 de março de 2011

Like a Rolling Stone

Venho trabalhando em melhorias para a Gabriel Management School com o pensamento de tornar esse meio mais dinâmico e com um conteúdo que atinja pensamentos e necessidades, um pensamento focado na satisfação e valor para o leitor.
E com todo o pensamento de Economia Verde/Marketing Verde e outros, muitas empresas querem agregar valor, buscam entrega de produtos com valor agregado, porém poucas sabem o que é valor exatamente e do que ele trata, e com isso ficam bem longe de atingi-lo e com isso também deixam de alcançar a satisfação do cliente.
Do que trata a Satisfação?



 A satisfação consiste na sensação de prazer ou desapontamento resultante da comparação do desempenho percebido de um produto e/ou serviço em relação às expectativas do comprador.
Então o que é Valor?O valor é algo que varia de cliente para cliente e é algo que representa o diferencial na hora da compra. Entende-se valor como a diferença entre o valor total e o custo total para o cliente.
Qual o diferencial competitivo gerado por isso? A empresa que terá mais clientes será aquela que tiver um valor maior e consiga satisfazer as necessidades do cliente, por meio de foco e retenção dos públicos interessados, melhores processos, recursos empregados com qualidade e organização.
 Para atrair clientes a empresa deve ter um marketing focado no mesmo e fazer com que o cliente entenda o valor oferecido pela empresa. Deve ter um foco em manter o cliente ao longo do tempo e fazer uma conversão dos clientes, para que os mesmos divulguem a empresa. Devem  gerar indicações e qualificar as mesmas para ter sua marca propagada por mais pessoas a partir de um trabalho que satisfaça as necessidades do cliente.
E qual o ganho da empresa com Valor e Satisfação?É importante atrair novos clientes, mas é ainda mais importante mantê-los, visto que o custo de conquistar um cliente é muito maior que o de retê-lo. Para essa conquista do cliente podem ser utilizados incentivos financeiros, como descontos para clientes antigos, mostrar a participação social da empresa e a estrutura diferenciada da empresa.
Existem hoje no mercado diversas técnicas para buscar entender para atender as necessidades e desejos do clientes, como: Pesquisas, CRM, Marketing 1-O-1 , etc.
Um case bem interessante de CRM é do Maktion, onde meu amigo Arif narra uma experiência que teve com a Sunayan Optics, que com pequenas ações (mesmo com erro no caminho) conquistou ele como cliente. Convito vocês a darem um olhada clicando aqui.

->PS: Se possível comente empresas que te deixaram satisfeito e empresas que não deixaram.
O que a GMS está fazendo em Valor?
§  O FA-GMS já tem seu piloto na direita da pagina, onde pode ser feita qualquer pergunta sobre Gestão ou temas relacionados. O FA completo está em desenvolvimento ainda e vai ao ar completo em Abril – 10 (Free Advisorying Gabriel Management School).

§  Foi criada a pagina no Facebook, com conteúdo mais dinâmico e com informações de diversos canais mundias. Todas focadas no mercado!
http://www.facebook.com/pages/Gabriel-Management-School/189590004416634

§  Já foram postados três posts com questões levantadas pelos leitores (Time, Pos-Venda verde e Gestão do Tempo).

§  Vem mais por ai, próximo projeto-Personal Gabriel.

DICA DE HOJE:
- Sirva bem para servir SEMPRE.
- Cuidado com o cliente insatisfeito. Ele pode fazer seu negócio perder oportunidades.
PS¹: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.
PS²: Foi usado como referência para esse post o Philip Kotler e o livro Administração de Marketing do mesmo.


Dúvidas e sugestões: casalsgh@gmail.com ou via  FA-GMS na barra a direita.

segunda-feira, 28 de março de 2011

Convite - Turma Cidadã

O PROGRAMA TURMA CIDADÃ CONVIDA A PARTICIPAR DO “MUTIRÃO SOLIDÁRIO”
            O Projeto – Mutirão CEFET Solidário à Região Serrana, lançado pelo Programa Turma Cidadã, receberá a Região Serrana, no dia 29/03, das 10 às 17 horas, na Unidade Maracanã do CEFET/RJ. O evento propõe mobilizar a comunidade deste Centro a identificar demandas da região atingida pela maior tragédia climática ocorrida no Brasil, em janeiro de 2011, e, conseqüentemente, gerar idéias criativas que atendam às demandas identificadas mediante projetos elaborados pelo CEFET, na competência de seus diversos cursos.
DIA 29.03.11
Período = 10h às 17h
Programação de eventos Mutirão CEFET Solidário à Região Serrana
Atividades:
. Exposição das Artesãs da “Feirinha de Teresópolis”
. Doações na Tenda Pólo de Cidadania – Equipe Mobilizadora – Time Arte –  Sorteios
. Lanche Solidário - 11h às 16h
. Desfile de modas - 13h20m
. Ciclo de palestras - 14h30m  (Auditório 1)
- Abertura – Palavra do Diretor Geral do CEFET.
- Apresentação (Cidade de Teresópolis).
- Apresentação das Equipes, etc. Apresentação dos trabalhos de Times e alunos na primeira semana de Mutirão
- Apresentação da Repentista Vanda Pinheiro
- Equipe Mobilizadora - Site/blog  – Música Região Serrana;
- Participação Egresso Claudio –
- Participação da Diretoria do CEAT/Teresópolis – A tragédia climática em Teresópolis e propostas de recuperação.
. Desfile Modas - 16:00hs  
- Encerramento

Quem ajudar? Mande um e-mail para turmacidada@cefet-rj.br
Site: http://turmacidada.cefet-rj.br/

terça-feira, 22 de março de 2011

Existe Verde após a Venda

Bom, já foi visto que a sociedade nesse novo ambiente da economia verde presta mais atenção em empresas sócio-ambientalmente atuantes. O que não vimos e por sinal é bem difícil de achar/ responder foi um comentário do prof. Marcelo Nogueira, "Que tal abordar a questão VERDE no pós-compra?"

Segundo pesquisa realizada pela ESPM aqui no Brasil, a qualidade é o fator mais importante atualmente na hora da compra de um produto, mas os dados mostram fortemente que o pós-venda será o fator mais importante a ser considerado pelo consumidor na futura compra. Em países como Portugal, para a parte de automóveis o pós-venda é responsável por 58% do mercado.
Ele também deveria ser muito considerado pelas empresas, visto que os custos para manter um cliente são 20% dos custos para buscar novos clientes.
Mas o que é Marketing Pós-Venda afinal?
Pós-venda é a fase que se inicia imediatamente após o momento da compra. É nesse momento que o comprador irá avaliar se os benefícios oferecidos pelo produto irão atender às suas expectativas.
E como isso é tratado no Marketing Verde (Ecomarketing)?
O marketing verde consiste de uma ampla gama de práticas que vão desde a coleta da matéria prima até sua disposição. Vem se tornando uma necessidade de todas as empresas, como comentado no post anterior, sendo um diferencial competitivo.
Essa atividade de pós-venda no marketing verde é trabalhada pela logística verde (também conhecida como logística reversa).
Logística Verde, o que é e como funciona?
Tendo como definição ,“O processo de planejamento, implementação e controle da eficiência, o fluxo de custo eficaz de matérias-primas, estoque de processos, produtos acabados e informações relacionadas desde o ponto de consumo até o ponto de origem a fim de recapturar ou criar valor ou eliminação adequada.” (Dale S. Rogers e Ronald Tibben-Lenbke), a logística reversa, é um importante fator no pós-venda nos dias atuais.
O comprador sente-se parte integrante do processo ao mesmo tempo em que tem uma noção que está cumprindo com seu papel para a sociedade, fazendo o correto descarte do produto.
Para a empresa, a logística verde trás todo um novo processo, mas os números indicam que este vale a pena.
·         Com um sistema eficiente de logística verde, a empresa poupa 10% dos seus custos logístico.
·      Gera novos produtos para o portfólio, com um custo/preço diferenciado. Nos US 10% de tudo que é vendido vem do processo de Logística Verde, um montante de US$ 20 bilhões das vendas. Um exemplo é o GARS da IBM(http://www.ibm.com/expressadvantage/br/bancoIBM.phtml )
Na Europa e US está técnica já é utilizada em escala moderada, mas no mundo ainda é considerado um mercado embrionário e em franca expansão, afinal ela ajuda no pós-venda, apóia a produção e enxuga as finanças.
Para facilitar o entendimento, eis o processo:
O produto volta das mãos do consumidor de volta para a empresa, onde sofre analise e tem seu destino apontado.
Se for para rejeitado, vai para descarte de forma ecológica e inteligente.
Se for reciclado ou recondicionado ou estiver já pronto para revenda, compõe o estoque, podendo ser enviado de volta a fabrica para tratamento e utilização ou recolocação para o mercado. Nesse momento é que a fabrica corta alguns custos.
Muita atenção deve ser destinada principalmente ao descarte (disposição), pois quando o produto não pode ser mais aproveitado de outra forma, deve sofrer o descarte em local próprio para tal. Cada tipo de material tem uma forma de descarte específica de forma que não cause impactos negativos na natureza.
Então....
O pós-venda verde é sim algo possível, tem capacidade de gerar margens de lucro maiores e é um diferencial competitivo tanto nos olhos do comprador quanto das empresas.
Pense nisso antes que você ou sua empresa fiquem defasados. Afinal existe Economia Verde, Marketing Verde, Logística Verde. É tudo uma questão de escolha entre “Green or gray economy”.
PS: Empresas que usam Logística Verde nos negócios: Empresas por ramo

PS: Existe também uma serie de pensadores que entendem logística verde como um pacote de atividades que incluem: remeça de produtos em pacotes ao invés de batches pequenos; uso de combustíveis alternativos nas maquinas e veículos; redução do uso de embalagens; utilização de matéria-prima extraída de forma sustentável; construção de locais para manufatura e estocagem que não gerem danos ao meio-ambiente; reciclagem e reutilização de materiais.

Dicas de Hoje:
-Pense Verde, pode gerar resultados interessantes e lucrativos.
-É importante sempre se manter atualizado, entender o mercado e pesquisar bastante para entender sobre os diversos assuntos. Estudos Continuados e “Versatilismo”.
PS¹: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.

Dúvidas e sugestões: casalsgh@gmail.com

terça-feira, 15 de março de 2011

O Verde Verde

Não querendo fazer propagando, mas mesmo assim fazendo, hoje vou falar de uma empresa que me surpreendeu muito. Uma empresa verde, com uma proposta ver , com um trabalho verde, que com toda certeza gera um dinheiro bem verde também. Ela se chama Biovert.
A Biovert e é uma empresa que somente realiza trabalhos ligados diretamente a área ambiental. Ela está localizada em Silva Jardim, interior do Rio de Janeiro. A empresa  produz anualmente 3 milhões de mudas de mais de 100 espécies arbóreas e mais de 4 milhões de mudas de espécies diversas voltadas para projetos de paisagismo . Ela trabalha apenas com espécies nativas da Mata  Atlântica.
Entre os serviços prestados estão planejamento e execução de obras rurais, reflorestamento, conservação de parques e jardins, recomposição de áreas degradas, que é a área onde a empresa vem tendo um destaque maior , e produção e comercialização de mudas e sementes do sistema vegetal atlântico, sendo esse ultimo o principal serviço da empresa. Todo o trabalho é realizado por Engenheiros Florestais, Agrônomos, Paisagistas, Técnicos Agrícolas e apoio de consultores de diversas áreas relacionadas ao setor ambiental.
Biovert teve sua fundação em 1992 e nesse ano já trabalhava junto a prefeituras do Rio de Janeiro e empresas privadas.
Em 1995, foi a primeira empresa privada a participar do Programa Nacional de Sementes Florestais Nativas, uma iniciativa do Ministério do Meio Ambiente, dos Recursos Hídricos  e da Amazônia Legal, isso graças a infra-estrutura desenvolvida da empresa.
No mesmo ano realizaram um projeto inédito, aprovado pelo IBAMA, na Reserva Biológica do Poço das Antas, localizado em Silva Jardim. Esse que foi um projeto de Recomposição de Áreas Degradadas, um total de  1.000.000 m² e que a Biovert considera como um de seus principais projetos.
A Biovert tem tido um expansão media anual superior a 60% e faturou em 2008 5,3 milhões de reais. A empresa prevê para esse ano um faturamento de 10 milhões de reais. Isso parece não ser o bastante para as ambições dessa empresa, que está buscando financiamento do BNDES para expandir seus negócios para outras áreas do país.
Essa empresa já desenvolveu projetos para empresa como Globo, Petrobrás, Cervejaria Brahma, entre tantos outros. Um projeto recente foi o de revitalização de dunas nas praias de Ipanema e Leblon, envolvendo no projeto a implantação de mais de 20 mil mudas de espécies nativas da restinga do Rio de Janeiro. Isso auxiliará na conservação do ecossistema local, trazendo aves e outros animais, além de fixar as dunas.
Para conhecer mais acesse o site da empresa em : http://www.biovert.com.br/
Esse é um exemplo que podemos fazer um negócio lucrativo, inteligente e que vá de interesse ao que o mundo precisa. Bom, não só as pessoas do mundo mas pelo que muitas pesquisas indicam, as empresas também precisam disso.
O Marketing Verde é algo que faz muito bem para os resultados empresariais. Em pesquisa divulgada na revista Conjuntura Econômica volume 63, o consumidor tinha 57% mais vontade de consumir produtos de empresas que fossem ecologicamente corretas, tinha mais afinidade desde de 2002 com empresas que atuassem no setor de Meio Ambiente e “puniam” (boicote) empresas que não atuassem em prol do ecossistema.
 Essa economia verde, percebida pelo consumidor, foi tão impactante que fez empresas como Coca-Cola, Petrobrás, Vale, Boticário, Wal-Mart, entre outras, a trocar de fornecedor ou investir pesado para  alinhar os fornecedores ao pensamento. Ou seja, a  forma de ver  o  verde fez com que a logística de empresas de grande porte fosse alterada de alguma forma.
Outras empresas foram além do Marketing e Logística, entraram na Estratégia e Produção ao modificarem/ incrementarem o portfólio de produtos em cima da economia verde, esse foi o caso de uma gigante chamada IBM que tem no Smarter Planet toda uma política para melhor atender aos interesses dos negócios e do mundo.
DICA DE HOJE:
- Pense em um negócio verde e lucrativo. Pode dar mais dinheiro que você imagina.
- Faça o que você gosta e terá um potencial muito maior para bons resultados.
PS¹: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.

PS²: Dia dez de Abril será lançado o F.A. GMS (Free Advisorying Gabriel Management School).

PS³; Responda a enquete: Você acha que a economia verde te afeta de alguma forma?

Dúvidas e sugestões: casalsgh@gmail.com

terça-feira, 8 de março de 2011

Elas também querem jogar

No dia internacional da mulher talvez fique mais fácil chamar a atenção para elas. Será que elas só querem diversão?


Mesmo ainda classificadas como minoria na força de trabalho, cada vez mais as mulheres vêm ocupando postos de trabalho e mercado, mesmo em nichos, como a política, onde a participação das mulheres era praticamente nula encontramos uma força emergente.
Na América Latina já tivemos onze presidentes do sexo feminino, sendo as mais recentes (e com mandato ainda em vigor) a Cristina Kirchner (Argentina), Laura Chinchilla (Costa Rica) e Dilma Rousseff (Brasil).  No mundo ainda temos a Angela Merkel (Alemanha), Pratibha Patil (India) e outras doze.
Com relação ao empreendedorismo, área que no passado também era dominada pelo sexo masculino, elas também vem ganhando cada vez mais força. No Brasil 53% dos empreendedores são do sexo feminino (segundo a GEM – 2011).
Elas têm um perfil e uma forma de lidar com o trabalho diferente dos homens, tendo uma facilidade melhor de se adaptar aos diferentes ambientes (até porque historicamente tiveram de se adaptar a diversos papeis que desempenharam/desempenham na sociedade). Com isso vêm ganhando seu espaço no mercado, em todos os níveis, e isso gerou alguns prêmios e revistas de negócios especificamente voltadas para esse nicho (exemplo : revista VOCÊ S.A. Mulher e prêmio Sebrae Mulher).
Mesmo com esses dados homens e mulheres ainda são encarados de forma diferente pelo mercado. Aqui no Brasil, segundo estudos do IBGE (2009), em 2003 a mulher ganhava para mesma função 70,8% do salário de um homem, em 2009 na mesma situação elas ganhavam 72,3% do salário. Segundo pesquisa realizada pelo Dieese (2011) focada no estado de São Paulo (principal metrópole do Brasil) as mulheres ganham 75,7% do salário de um homem que desempenhe a mesma função. Essa realidade como demonstrado no vídeo abaixo não é exclusiva do Brasil.

Pelo que os dados indicam as mulheres não estão de brincadeira e a diferença vem se diluindo, porém ainda existe um longo caminho a ser percorrido. As mulheres devem ter garra e buscar manterem-se motivadas para continuar evoluindo dentro do mercado e conquistando todo o respeito que merecem e enfim poderemos dizer que somos iguais.

DICA DE HOJE:
-Se você não se valorizar, ninguém o fará por você.
-A diversidade na força de trabalho é um fator crítico para o sucesso das empresas no mundo atual.
PS¹: Os links que foram usados para apoio na construção desse post seguem abaixo:http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/noticia/2010/11/dilma-sera-11-mulher-presidente-na-america-latina.html
PS²: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.


Dúvidas e sugestões: casalsgh@gmail.com

terça-feira, 1 de março de 2011

Um movimento para sempre

Ao falar de mercado e estudos sobre o mesmo, vendo acertos e erros, é difícil não comentar uma função, área ou processo (dependendo do seu ponto de vista e interpretação sobre o assunto) chamado MARKETING.
Este é definido por Philip Kotler no livro Administração de Marketing como: “o processo de planejar e executar a concepção, a determinação do preço, a promoção e a distribuição de idéias, bens e serviços para criar trocas que satisfaçam metas individuais e organizacionais.”
Ele dentro do contexto empresarial tem a função de estudar e definir os objetivos dos clientes e a melhor maneira de satisfazer suas necessidades e desejos, de maneira competitiva, ética e lucrativa.
O marketing do mundo que vivemos tem essa questão da visão holística, que é exatamente o pensar que uma pessoa/empresa tem diversos relacionamentos (parceiros, clientes e fornecedores) externos e internos, e a função Marketing deve estudar e atender e atuar nesses relacionamentos com o foco em gerar valor (item essencial para pessoas e empresas que querem se perpetuar e atingir o sucesso dentro do mercado).
Se no passado o marketing teve como mãe o assunto economia, complementando assuntos estudados por sua geradora, hoje ele é que faz sua geradora complementá-lo ao gerar dentro do aspecto social todo o cunho verde( sócio-ambiental), que com o tempo vem ficando cada vez mais forte no pensamento das pessoas e empresas. Isso é algo que justifica todo o estudo e poder do Marketing no mundo atual.
Exemplos de bom marketing?
-IBM Watson (
post anterior tem informações);
-Starbucks e sua nova logo(
pensar no cliente e na estratégia para tratar  melhor o marketing da empresa)
-Oscar , Super Bowl, Copa do Mundo (
poucos eventos são tão assistidos e esperados quanto esses);

Marketing não é vendas!Cada um tem sua função e objetivo. Marketing ajuda venda tanto quanto venda ajuda marketing, e apesar de vendas ser o pai do marketing, eles são assim como Liderança e Gestão, assuntos bem diferentes que se completam.
Enquanto o Marketing faz o estudo sobre o potencial cliente, identificando seus gostos e necessidades, Vendas é que efetivamente faz do potencial comprador um cliente de fato.  

DICA DE HOJE:
-Estude marketing para entender pelo menos o mix de marketing e saber fazer um mínimo de marketing pessoal. (o post trata apenas uma breve iniciação nesse tema que é muito denso).
-Esteja sempre atento ao mercado para entender seus clientes.
-Existem muitas ferramentas de marketing, se não entende muito bem do assunto, use apenas as que tiver certo domínio. Mais vale fazer com qualidade um pouco do que muito sem qualidade alguma – pensamento baseado no mestre Miyagi.
-“Atender bem para atender sempre!”
PS¹: Algumas ferramentas de Marketing- Benchmarking, Mix de Marketing, Sistema Integrado de Marketing, Cliente X etc.

PS²: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.

Dúvidas e sugestões: casalsgh@gmail.com

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

WATSON quem?

Não pensei que fosse escrever a respeito dessa empresa tão cedo aqui no GMS, mas com o feito de semana passada, não poderia passar em branco por aqui algo que é de fato uma grande evolução no mundo da tecnologia e pode representar uma grande evolução no mundo dos negócios.

A IBM, que faz 100 anos de existência esse ano e que já esteve em situação desconfortável em décadas passadas em 1997 fez uma aposta, colocou uma maquina contra o maior campeão de xadrez, um jogo de muita lógica. Algo que hoje pode parecer normal, mas na época era inimaginável, o DEEP BLUE (supercomputador da IBM) ganhou e o desafio.
14 anos depois e em uma situação muito diferente, a IBM desafia campeões de um jogo que não envolve lógica chamado Jeopardy, algo que aparentemente seria impossível para um computador ganhar, foi para o desafio e ganhou. Talvez pelo fato da equipe e a empresa demonstrarem em diversas ações não acreditar no impossível (ex:Resgatar junto a NASA pessoal do Apolo XI), talvez por sorte, mas o fato é: Uma nova temporada de negócios com uso de maquinas está chegando!
Acompanhe o que é essa evolução ou a ideia por de trás do fato nos links a seguir:



DICA DE HOJE:
1-     Mantenha-se atualizado com as informações do mercado
2-     Sempre busque tempo para entender como uma ação pode influenciar todo um mercado. Você se surpreenderá com os resultados de estar um passo a frente que pelo menos 4 bilhões de pessoas.
3-     Não se esqueça que ser melhor que o pior não é ser bom. Ainda terão 2 bilhões de pessoas na sua frente, mas sempre teremos espaço para novos Kotler, Watson, Ford, Fayol, Taylor etc.
PS: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.

Dúvidas e sugestões: casalsgh@gmail.com

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Desafio GMS- Felipe Novo

Hoje divulgo o resultado do Desafio GMS proposto no último post.
O grande vencedor foi Felipe Novo .
Em alguns momentos ele foi um tanto quanto rígido, em outros mostrou velocidade e insights que já tem do mercado. Trouxe em sua resposta grandes exemplos e citações, formando uma resposta sólida e bem cotextualizada e chegou em um ponto muito interessante quanto a o ao inevitável.
Convido vocês a verem e comentarem essa resposta que foi de fato um estudo sobre o caso.
_____________________________________________________________________
Não fosse o caso "Enron" um episódio extremamente complexo, este não teria se tornado a maior fraude contábil dos EUA.
Dito isto, minha resposta para o caso é:
A Enron não tinha salvação, ainda que "eu" fosse contratado em 1999, 2 anos antes da crise.
Minha resposta tem a intenção de fugir do raciocínio? Das possibilidades?
NÃO !
Minha resposta é baseada naquilo que se segue. Como foi citado, inclusive por você, a Enron possuía na sua estrutura organizacional, uma cultura extremamente predatória, que contaminava a todos dos seus funcionários. Dizer TODOS os seus funcionários não é, de forma alguma, um generalismo leviano.
Trata-se de uma constatação, baseada em fatos.  Fatos estes, como a prática de gestão de pessoas formal da empresa, em que os funcionários avaliavam seus pares de 1 a 5, onde 1 eram os melhores e 5 os piores, para então DEMITIR os que obtivessem nota 5. Isso representava a demissão de 20% do quadro de funcionários que fossem pior avaliados.
Com o passar do tempo, os próprios funcionários passaram a fraudar a avaliação, menosprezando seu colegas de trabalho com notas baixas, para que suas próprias notas não os fizessem sair da empresa.
Quero dizer com isso que atitudes fraudulentas e anti éticas estavam no centro da Enron, sendo a única "solução" para o problema, a demissão de grande parte de seus funcionários, em uma tentativa de injetar "sangue novo" e buscar a disseminação de uma nova cultura corporativa, enquanto balanceava seus números.
No entanto, como uma grande empresa americana, seus funcionários possuíam grandes fundos pessoais lastreados em ações da própria companhia.  Resultado de seus bônus anuais e poupança pessoal de anos e anos de trabalho. Como "eu" faria então, para justificar a demissão em massa de milhares de funcionários?
Esta atitude iria provocar a ira de milhares de pessoas, que por anos foram complacentes com práticas inadequadas. E neste momento, toda a razão da futura crise da Enron seria evidenciada e sairia do segredo corporativo para as lentes da imprensa e dos orgãos reguladores americanos.
Os funcionários, desesperados com o futuro dos recursos de "sua aposentadoria" gerariam a própria ruína de seus recursos. Simplesmente porque a Enron era uma empresa lastreada por seu grande histórico de geração de caixa, atraindo bilhões em recursos oriundos dos bancos e investidores.
Abaixo, transmito duas passagens extraídas do link http://empresasefinancas.hsw.uol.com.br/fraudes-contabeis2.htm
"A Enron esteve comprando quaisquer novos empreendimentos que pareciam promissores. Suas aquisições estavam crescendo exponencialmente. A Enron também formou empresas (LJM, LJM2 e outras) para movimentar débitos para fora de seus balanços e transferir riscos para seus outros negócios. Estas novas unidades eram também estabelecidas para manter o crédito da Enron alto, o que era muito importante em suas outras áreas de negócios. Como os executivos acreditavam que o valor das ações da Enron a longo prazo permaneceriam altos, eles procuraram várias maneiras de usar as ações da empresa para dar cobertura aos investimentos nestas outras entidades. Eles o fizeram por meio de um arranjo complexo de entidades com fins especiais chamadas Raptores"
"Em 15 de agosto, Sherron Watkins, vice-presidente da Enron, escreveu uma carta anônima para Ken Lay que sugeria que Skilling havia saído devido a impropriedades contábeis e outras ações ilegais. A carta questionou os métodos contábeis da Enron, especificamente citando as transações dos Raptores.
Mais tarde no mesmo mês, Chung Wu, um corretor da UBS PaineWebber em Houston, enviou um e-mail para 73 clientes de investimentos dizendo que a Enron estava com problemas e advertindo-os a considerar venderem suas cotas.  Sherron Watkins então se encontrou com Ken Lay pessoalmente, adicionando mais detalhes a suas acusações. Ela notou que as unidades foram controladas pelo CFO da Enron, Fastow, e que ele e outros funcionários da Enron fizeram dinheiro e deixaram apenas a Enron em risco com o resguardo dos Raptores (os acordos dos Raptores foram escritos para que a Enron tivesse que apoiá-las com suas ações). Quando as ações da Enron caíram a um certo ponto, as perdas dos Raptores começaram a aparecer nas declarações financeiras da Enron. Em 16 de outubro, a Enron anunciou um terceiro trimestre de perdas de US$ 618 milhões. Durante 2001, as ações da Enron caíram de US$ 86 para US$ 0,30. Em 22 de outubro, a SEC começou uma investigação nos procedimentos contábeis e parceiros da Enron. Em novembro, a Enron admitiu oficialmente ter exagerado os ganhos da empresa em US$ 57 milhões desde 1997. A Enron decretou falência em dezembro de 2001."
Não obstante, o caso Enron foi intitulado "A maior crise de confiança desde a quebra da bolsa de valores em 1929".  
Ou seja, baseado nos FATOS que sucederam, após 1999, anos de minha suposta "contratação", garanto que era impossível evitar a crise da Enron, pelo simples fato de que a capacidade de manutenção das atividades da empresa era diretamente ligada à credibilidade que esta possuía junto a seus credores e investidores.
Não fossem eles, não haveria caixa suficiente para efetuar todas as atividades e financiar o crescimento da empresa.  Sem isso, a empresa não teria mantido seu histórico de alta dos preços de suas ações e jamais teria chegado ao patamar corporativo que chegou.
A necessidade de capital para investimento era intrínseca à sua atividade econômica, pois sem recursos oriundos de fontes externas, a empresa seria incapaz de fazer seus aportes em projetos de energia, nas diversas áreas operadas.
Vide o vertiginoso crescimento do Grupo EBK, controlado por Eike Batista. Sem recursos externos, seria impossível construir o que ele vem construindo, a ponto de elevar sua fortuna pessoal para números entre 30 e 40 bilhões de dólares.  Tentar contornar a situação da Enron seria o mesmo que descobrir, hoje, uma suposta fraude nas empresas de Batista e acharmos que poderíamos contornar o problema.
De que maneira?  "Conversando" com investidores e explicando a situação?
Seria uma expectativa não só leviana, como extremamente infantil.
Provavelmente, em 1999, a empresa já era um grande arranha céus, sem qualquer alicerce construído sob suas estruturas, transformando-se em um ótimo exemplo para o podemos criar baseado apenas em conceitos capitalistas de geração de valor a qualquer custo. No momento da crise, o resultado ficou evidenciado.  A Enron elevou seus preços, mas jamais criara valor. Pelo menos não na mesma proporção de seu império que posteriormente veio abaixo.
Desta forma, uma atitude enérgica da alta administração em 1999 teria, de fato, evitado a crise de 2001. Simplesmente porque a crise seria adianta em 2 anos, para o ano de 1999.
Sendo assim, cumpro meu papel de lhe dar um trabalhão para ler o que escrevi e obter sua resposta, mantendo nosso papo em dia, ainda que possa não vir a ser "A SOLUÇÃO" para o caso.
____________________________________________________________________________________
Outro comentário:  Esdras Negreiros Bem, eu nao diria que a Enron tinha um presidente alheio e distraído, uma diretoria complacente e uma equipe de contabilistas, auditores e advogados impotentes. Diria apenas que eles vacilaram!!! Mas eram, sim, muito competentes... tanto é que chegaram onde estiveram.”

Importante reparar que realmente foi um erro da gestão, um vacilo. Mas realmente longe de serem incompetentes, pois se fossem não teriam chegado a 140bilhões de dólares em 9 meses e muito menos levariam outras grandes com sigo no momento de seu súbito óbito empresarial. Uma infeliz queda, que poderia ter sido a da Harley Davidson ou da IBM anos antes.  Mas das empresas que poderiam quebrar, essa realmente foi a que mais lições trouxe para o mercado, seria bom relembra-las e trazer essas lições para o dia-a-dia, entre as lições, a mais importante é :
ETICA .
___________________________________________________________________________________________________
Parabéns Felipe Novo pela vitória no primeiro desafio GMS e muito obrigado a todos que participaram. Espero que possam ter mais sorte na próxima.

DICA DE HOJE:
1-     Seja ético
2-     Tenha os pés no chão, mas não deixe de sonhar
PS: If you are using Google translation to see this blog, please be advised that since it is not perfect, some concepts might be hard to understand. Hope you liked GMS. We sure enjoyed your visit. Be my guest to leave comments and e-mail me.

Dúvidas e sugestões: casalsgh@gmail.com